Opinião – FÁCIL IMAGINAÇÃO

Obviamente que o sentimento do torcedor do Campinense é de frustração e o do treze é de alívio.

Depois de uma vitória convincente contra o Serrano, o treinador esqueceu de lembrar que a comissão técnica do rival observava o jogo, tanto que armou o time baseado no que a raposa fez quinta.

O time do treze era quase outro, apostou não na covardia, mas no roubo de espaços e ainda na marcação pesada e frutífera em cima de Marcinho.

Foi um jogo de erros e um acerto.

O Campinense errou tanto que Saulo não foi exigido em momento nenhum. Na verdade, ele só caiu uma vez só e porque quis. O Campinense que deveria ter entrado com Jean Carlo e Rodrigo Silva, viu um Fabio Luiz gigante, mas um Pires apagado, tal qual seu sucessor, Tarcísio. O treze fechou os espaços e após mais de uma hora do gol marcado, não ofendeu o Campinense, que, a exemplo dos últimos embates dos maiorais, jogou de forma bisonha e sem padrão exigido, como fora contra o Serrano.

Houve o pênalti?

Houve, mas a barriga do árbitro o impediu de estar próximo da jogada e se ele não apitou, não houve. Ou melhor houve, mas ele não apitou, então na prática…aliás, como apitam mal os árbitros paraibanos…

Qual saldo?

Para o Campinense positivo apesar de tudo: o time continua líder, tem 3 jogos fora e não são difíceis, há não ser que se apequene diante dessa derrota normal; O time não carece de peças novas, mas de se acertarem em campo e principalmente, regularidade. O time é bom, mas parece não acreditar nisso.

Para o treze, positivo apesar de tudo; vencer o rival é um campeonato a parte, mas mostra a deficiência do ataque, um meio inexpressivo e um técnico medroso, visto que se apertasse, poderia ter feito um bom saldo de gols. O gol saiu não por mérito do treinador, mas pela falha do Jefferson e do Rafael Araújo.

Nos outros jogos, a surpresa foi o Guarabira. Depois de goleado em casa pelo Botafogo e com a chegada de Luciano Silva ( bom treinador), parece que a velha Desportiva vai querer engrossar o caldo e deverá fazer valer o fator casa. Empatar com o Sousa que haveria vencido o expressinho do treze, é um fato a comemorar.

Quem não tem muito o que comemorar é o Auto. Depois de pedir esmolas na Maravilha do Contorno, continua sua saga de perdedor e é o único que ainda não pontuou no campeonato. 5 jogos, 5 derrotas, no outro lado da linha, o Nacional de Patos começa a se impor. São 3 vitorias consecutivas e pontos que o credencia como terceiro do grupo A, a lutar pela cabeça e pega o ferido Atlético Cajazeirense em casa.

Atlético que perdeu a segunda, agora para o misto do Botafogo e que quase perdeu seu treinador.

Mesmo Atlético motivo de vergonha através de depoimento em vídeo de um ex presidente seu sobre a prática de comprar resultados, isso ficou no passado?

O grupo A, não deve apresentar surpresas- fazendo um prognóstico para os 5 próximos jogos:Campinense e Botafogo brigarão pelo primeiro lugar; Nacional e Sousa pelo terceiro. Auto não conseguirá se livrar do quadrangular da morte.

No grupo B, O treze terá vida fácil mesmo com Atlético tentando se impor. Essa insistência do Atlético lhe dará a segunda colocação e esperará uma briga de pequenos entre CSP, Serrano e o Guarabira.

Nem tudo é difícil de imaginar..

Nem a pochete de João Bosco Sátiro.

Nem o depoimento de Fabiano Gomes.

As informações dos colunistas não representam a opinião do site PB Esportes; a responsabilidade do texto é do autor.

As informações dos colunistas não representam a opinião do site PB Esportes; a responsabilidade do texto é do autor.

Deixe um comentário