Returno

Marcos Nascimento

A atual posição do Nacional de Patos na tabela não deveria surpreender ninguém porque a sua frente tem um nome que a Paraíba já devia ter conhecimento: Marcos Nascimento.

Marcos é um Educador Físico e um profissional de futebol. Por onde passou, Marcos usou de seu aprendizado para conseguir, por exemplo, seis acessos, três como treinador (todos por clubes de Patos e três como membro de comissões técnicas).

Ele trata a condição de técnico de futebol como secundaria, já que ser professor de Educação Física é e sempre será sua principal função, tanto é que para estar no Nacional neste campeonato, fez uma série de exigências a diretoria nacionalina.

A partir daí devemos tratar a estreia do Nacional contra o Atlético como um jogo de um resultado normal, e a única derrota do Naça foi descontada ontem, quando de forma cirúrgica venceu o mesmo Atlético.

O nome é Marcos Nascimento. É ele que refez Pantera e lhe deu condições de ter suas defesas de Copa do Nordeste, foi ele quem recriou Lucio Curió no patamar da artilharia do campeonato. O time todo joga olhando e ouvindo o silencio do seu professor.

Forte candidato a classificação, o Nacional começa enfim, a ter um reforço de muito peso e decisão se aproximando :sua fanática torcida.

Gabriel Teixeira

Substituindo o pai seu de todo dia, Gabriel pouco pode fazer antes da linha lateral que o separava de onde estavam raposeiros e guarabirenses jogando um jogo feio, sem inspiração que teve o azar de ter acontecido um gol antes dos 10 minutos iniciais. O Campinense cheio de desfalques pouco apertou o limitado time da Desportiva que por sua vez parecia que aceitaria fácil mais uma derrota em casa.  O filho de Celso- talvez a mando do pai, deve ter instruído seus atletas  a tirarem o pé, porque nos segundo tempo, a Desportiva de Luciano Silva, dominou o rubro-negro por completo, não fosse um santo que veste amarelo ter operado milagre, o placar era outro e  por castigo, Rodrigo Silva em uma jogada isolada, faz o segundo gol. Aliás, O Campinense foi o único clube a fazer mais de um gol nessa rodada e provou que, nesse campeonato, toda vez que o Campinense vira o jogo vencendo, acaba ganhando o jogo. Segue líder, segue se remendando.

Oliveira Canindé

Imagino o que via Oliveira naquele campo de Cruz do Espirito Santo. Outro jogo que incomodou a visão e não fosse o retorno de Marcelinho Paraíba seria somente mais um jogo. Com o time principal em campo, a missão mais difícil era jogar naquele campo, porque o Auto Esporte não ofereceria e nem ofereceu nenhum tipo de resistência ou dificuldade. O gol de Reinaldo Alagoano, não fez a partida deplorável se dissipar, mas fez o treze voltar ao seu lugar devido, que é a liderança do fraco grupo B.

Leston Junior

Tudo que o Botafogo queria no jogo de sábado era que nem jogo tivesse havido. Parece até que não houve mesmo. Um gol rápido para o Serrano e lá vai o bravo Botafogo correr atrás do prejuízo. Empatou pela qualidade dos seus atletas, dominou o jogo pela inteligência de seu técnico, mas não venceu porque o Serrano de Suélio Lacerda também foi bravo e seguro na defesa e no meio. Esses dois pontos que o Serrano tirou do Botafogo são os mesmos que o impede de ser vice-líder em sua chave, os mesmo que os fez cair para a terceira colocação no Grupo A. O técnico Leston Junior classificou como desumana a maratona de jogos que o seu time vem tendo (Guarabira- Cajazeiras-Fortaleza-Campina Grande). Realmente uma sequência de léguas muito grande, mas nada que um bom planejamento não tivesse resolvido, até porque o Belo sabia onde e com quem jogaria nesse começo de temporada, então reclamar de tabelas, é imaturo.

Jason Viera

Depois de assumir com vitórias diante do rival Atlético e do Treze, o treinador do Sousa amargou um empate com o Guarabira em casa e essa derrota para o CSP, prova que o Dinossauro Rex de seu escudo está mais para o microraptor (carnívoro que  viveu há 125 milhões de anos e tinha uns 50 cm de comprimento (entre as pontas do rabo e da cabeça) e menos que 4 quilos – tipo um cachorro chihuahua. ) de tão inofensivo que o Sousa vem se mostrando.

O time do repórter do jegue se credencia a disputar o quadrangular da morte e de quebra trouxe à tona o CSP, para enfim respirar no seu fraquíssimo grupo onde disputa duas vagas com Serrano e o combalido Atlético Cajazeirense.

Final

Nem o Campinense e Treze na liderança de seus grupos são surpresas e muito menos o Nacional em boa colocação. As decepções são por conta dos sertanejos Atlético e Sousa. A outra certeza é que faltam somente 3 clubes para o quadrangular da morte, é certo que Auto Esporte já tenha garantido seu lugar.

Efigênio Moura

 

As informações dos colunistas não representam a opinião do site PB Esportes; a responsabilidade do texto é do autor.

Deixe um comentário