Clubes definem regulamento do Nordestão 2019

A Copa do Nordeste de 2019 será diferente. Em reunião nesta terça-feira, em um hotel em Boa Viagem, no Recife, os representantes dos clubes participaram do conselho arbitral que definiu pela mudança de regulamento da competição para a edição do próximo ano. Na verdade, ratificaram uma ideia que já havia sido lançada na reunião ocorrida em abril, em Salvador. Assim, na primeira fase, os 16 times já definidos serão divididos em dois grupos de oito, com as equipes de uma chave enfrentando as da outra, com os quatro melhores colocados de cada avançado às quartas de final.

Além disso, nos estados com mais de um representante (no caso Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Sergipe e Pernambuco), cada time ficará em um grupo diferente, o que garantirá a realização dos clássicos na primeira fase. Vale destacar que Pernambuco é o único estado com três equipes, com o Náutico entrando como atual campeão, o Salgueiro via seletiva (eliminou o Juazeirense-BA) e o Santa Cruz, pelo ranking da CBF. O Sport, pelo segundo ano consecutivo, optou por abrir mão da competição. O Leão tinha vaga assegurada pelo ranking da CBF.

Com a definição da fórmula, a Liga do Nordeste levará o regulamento para o aval da CBF. Assim, também tentará obter mais uma data para o Regional, que possui apenas 13 garantidas. Caso o pleito seja atendido, todos os mata-matas serão realizados em jogos de ida e volta. Do contrário, a fase de quarta de final será disputada em partida única, com o mando de campo dos melhores colocados na primeira fase, com as semifinais e a decisão em confrontos de ida e volta.

Outra definição foi o prazo de inscrição de atletas, que se encerra 48 horas antes do início das quartas de final.

Premiação

Com relação à premiação, principal ponto de contestação dos clubes que avaliam como baixos os valores, a Copa do Nordeste de 2019 terá um aumento total de 17,8% na cotas, que passarão de R$ 22,4 milhões em 2018 para R$ 26,4 milhões, em valores líquidos (já descontados despesas com passagens e hospedagem). No entanto, a “turbinada” se dará na primeira fase, atingindo assim todos os clubes. Como ocorreu este ano, essa premiação será repartida em quatro sub-grupos, com as separação dos valores seguindo o ranking nacional da CBF.

Assim, o Santa Cruz, melhor pernambucano ranqueado, estará no sub-grupo 1, ao lado de Bahia, Vitória e Ceará, e receberá pela primeira fase R$ 1,9 milhão, praticamente o dobro do recebido esse ano (R$ 1 milhão). Já o Náutico está no sub-grupo 2, com cota na primeira fase de R$ 1,42 milhão. No sub-grupo 3, o Salgueiro receberá R$ 1,2 milhões.

Nas fases decisivas, no entanto, haverá descréscimo no valor das cotas com relação à atual edição. Este ano, por exemplo, o time campeão levará R$ 1,5 milhaõ pelo título, contra R$ 1 milhão previsto inicialmente para 2019. Somando-se as cotas das fases anteriores, o valor total pela conquista terá um aumento irrisório, passando de R$ 3,5 milhões para R$ 3,575 milhão. Já para quem vem do sub-grupo quatro, haverá uma diminuição do valor total pelo título, saindo de R$ 3,250 milhões para R$ 2,185 milhões.

Clubes participantes

Alagoas

CSA e CRB

Bahia

Bahia e Vitória

Ceará

Ceará e Fortaleza

Maranhão

Moto Club e Sampaio Corrêa

Paraíba

Botafogo-PB

Pernambuco

Náutico, Santa Cruz e Salgueiro

Piauí

Altos

Rio Grande do Norte

ABC

Sergipe

Sergipe e Confiança.

Foto: SuperesportesPE

PB Esportes com João de Andrade Neto /Superesportes

Envie informações à Redação do PB Esportes por meio do Whatsaap através do telefone (83)996550823.
Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem citar a fonte PB Esportes. Textos, fotos, artes e vídeos do PB Esportes estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Deixe um comentário