Intercâmbio de botafogos

Quando eu vi que alguns dirigentes estavam interessados em mudar o formato de disputa do Campeonato Paraibano 2020, me animei. Entretanto, tinha a questão das datas, cada vez mais reduzidas, para os estaduais, que nos grandes centros estão aos poucos perdendo o restinho da força. Nas províncias pequenas como a nossa, termina sendo até interessante menos tempo, o que representa um prejuízo menor para quem se aventura a colocar time em campo sem fontes de receita capazes de lastrear o sonho do título. O que está em jogo mesmo são as vagas na Série D , Copa do Brasil e Copa do Nordeste. Se não fosse por isso, acho que os velhos campeonatos estaduais já teriam sucumbido ao progresso e à modernidade. Sem mencionar que não tem nada mais chato do que ver dois ou três times revezando o levantamento de taça, como acontece alhures. Se há zebra, geralmente é porque não houve interesse dos favoritos.

Nos resta esperar que a raiva e a frustração do torcedor paraibano tenham sido deixadas para trás. Com exceção, em parte, do botafoguense tricolor, que ainda não digeriu a permanência na Série C.  Tricampeão paraibano incontestável. Pelo menos não podemos falar nada do título de 2019. Os que passaram , não somente os do time possoense,  podem em algum momento ter sido sujados pelo óleo cru da corrupção. Este é o grande diferencial do certame em 2020 – a confiança de que as práticas antigas identificadas pela Operação Cartola, não mais contaminarão a todos os inocentes envolvidos no processo. As maiores vítimas? Lógico que são os torcedores, sofridos, que separam o sacrificado dinheiro do ingresso, sem nunca ver um verdadeiro gol de placa. Página virada. Aguardemos os estádios serem liberados , para enfim a bola rolar, porque a saudade já começa a bater, daqueles domingos à tarde, sentado na arquibancada quente, com um travesseiro trazido de casa, sem a mulher ver, comendo amendoim e churrasco de carne sem procedência conhecida.

Será que já não passou da hora de Treze e Campinense destronarem o rival Botafogo da sua atual posição de zona de conforto? Os times do Sertão precisam parar de nadar na estiagem e morrer na beira da praia. Temos os dois caçulas que acabaram de subir da Segundinha e vão querer pelo menos permanecer. Além da Perilima, que pode se firmar como constante ameaça aos favoritos. O próprio Belo sentirá na pele a perseguição de todos contra um. Tirando isso, nada de novidade. Pode começar logo! Trilar o apito. Times de um grupo , enfrentando os do outro. É a única ideia de campeonato em que não se depende , necessariamente, somente de si para se chegar ao êxito esperado. Já pensou se todos os jogos forem vencidos por integrantes de um lado? Teríamos um grupo com as equipes somando 24 pontos e os do outro, com 0. Iríamos apelar para os critérios de desempate. Por que não termos agremiações jogando contra si dentro da chave no primeiro turno e no segundo, enfrentando as da outra? Dessa maneira teríamos todos os confrontos possíveis. Me pergunto isso desde o ano passado. O Cariocão já foi assim. Eu lembro. Diz a lenda que é o mais charmoso do Brasil. Pode ser que o melhor seja deixar tudo como está. Afinal, o Paraibano também tem o seu charme. E se rolasse um intercâmbio entre os botafogos? O do Rio jogasse aqui e o daqui jogasse lá? A zebra da década de 1980, no Maracanã, se repetiria? Segue o líder.

Envie informações à Redação do PB Esportes por meio do Whatsaap através do telefone (83)996550823.

Deixe um comentário