PUBLICIDADE-HORIZONTAL-SEBASTIAO
FABIO-PUBLICDADE-HORIZONTAL-min
PUBLICIDADE MARE DISTRIBUIDORA HORIZONTAL-min (1)
Foto: Tiago Caldas\ CNC

A Copa do Nordeste começou para Náutico e Campinense. No primeiro jogo do Nordestão para as duas equipes, empate sem gols no Estádio dos Aflitos. Em campo, o Timbu buscou a proposição e as jogadas pelas pontas, enquanto a Raposa era incisiva na velocidade.

Melhor no primeiro tempo, os mandantes levaram mais perigo, mas pararam em uma boa atuação do goleiro Mauro Iguatu, que ajudou a garantir o empate. No segundo tempo, porém, o Alvirrubro desacelerou e o Rubro-Negro passou a ter as melhores chances, mas, com dificuldade na hora de concretizar, o time desperdiçou chances e ficou no zero.

PUBLICIDADE

Como fica?

Com o empate, os clubes estreiam com um ponto em seus grupos. Com ainda quatro jogos para acontecer nesta primeira rodada, os paraibanos são vice-líderes do Grupo A. Já os pernambucanos são quartos no Grupo B.

Agora, o Náutico se prepara para a segunda rodada do Nordestão, quando vai enfrentar o Sport. O Clássico dos Clássicos está marcado para às 17h45 deste sábado, na Ilha do Retiro. O Campinense, por sua vez, joga às 16h do mesmo dia, recebendo o Bahia.

Primeiro tempo

Náutico e Campinense protagonizaram um jogo aberto. Com o controle da posse de bola, os mandantes eram mais propositivos, impondo boa pressão sobre a defesa da Raposa. Isso não significa, porém, que o Rubro-Negro só fazia se defender. Marcando alto, os paraibanos forçavam o erro, aceleravam as jogadas e também chegavam bem ao ataque.

Com essas estratégias, os visitantes tiveram chegadas incisivas ao longo de todo o primeiro tempo, mas penavam nas finalizações, sem criar lances de perigo real. Nisso, as melhores chances eram do Náutico. A melhor veio aos 9, com Robinho chegando na segunda trave, após escanteio, para ver a bola passar pelo goleiro e parar em cima da linha, no corte da defesa.

Pressionando mais à frente, o Timbu conseguia chegar bem em suas jogadas pelas pontas e forçar boas defesas do goleiro Mauro Iguatu, um dos destaques do jogo. No primeiro tempo, porém, as equipes erraram bastante e não conseguiram marcar.

Segundo tempo

Depois do intervalo, o Náutico passou a encontrar mais dificuldades para aplicar seu jogo. Com uma marcação mais encaixada do Campinense, o Timbu tinha dificuldades para construir suas jogadas pelo meio e também não conseguia ter a velocidade necessária para crescer pelas pontas.

Com isso, a Raposa tomou as rédeas ofensivas do jogo e passou a dar trabalho para Lucas Perri, que quase não tinha sido testado na etapa inicial, mas apareceu bem quando precisou, neste segundo tempo, evitando mais de uma boa chance do Campinense.

E, até o fim do primeiro tempo, os paraibanos seguiram tendo as melhores chances – exceto a melhor. Aos 48, o jovem Kayon desviou um cruzamento da direita e colocou a bola no cantinho do gol de Mauro Iguatu, que voou para uma grande defesa.

PB Esportes com informações de Vitor Aguiar\ NE45

PUBLICIDADE