PUBLICIDADE-HORIZONTAL-SEBASTIAO
FABIO-PUBLICDADE-HORIZONTAL-min
PUBLICIDADE MARE DISTRIBUIDORA HORIZONTAL-min (1)
Foto: Kioshi Abreu

O Sousa recebeu e venceu o Sampaio Corrêa nesta quarta-feira, em um jogo, no mínimo, animado. Após sair atrás do placar, o Dinossauro buscou a virada e bateu a Bolívia Querida por 3 a 2, com gols de Juninho Paraíba, Iranilson e Doda, enquanto Eron e Pedro Carrerete fizeram os gols maranhenses – todos os tentos saíram já no segundo tempo.

Em um jogo intenso, com uma série de oportunidades claras de gol desperdiçadas pelos dois lados, os paraibanos conseguiram se sobressair não apenas no placar, mas também no futebol, tendo sucesso quando tentou uma proposta ofensiva e, também, quando precisou fechar as duas linhas para conter a pressão adversária.

PUBLICIDADE

Como fica?

Com a vitória, os paraibanos entram no G4 do grupo B do Nordestão. Com sete pontos conquistados em cinco jogos, o Sousa ainda espera a continuação da rodada, uma vez que ainda pode ser ultrapassado por CRB, Botafogo-PB, Altos e Floresta. Os maranhenses, por sua vez, tem quatro pontos e quatro jogos, mas ocupam a mesma colocação no grupo A, o quarto lugar.

CONFIRA A TABELA COMPLETA DA COPA DO NORDESTE

Agora, o Dinossauro volta a campo às 20h do sábado, enfrentando o Campinense, em Campina Grande. Para o Tubarão, o próximo compromisso é às 18h30 do domingo, recebendo o Floresta. Os dois jogos são válidos pela sexta rodada da Copa do Nordeste.

Primeiro tempo

O jogo começou aberto e intenso. Com duas equipes propositivas, buscando o ataque, Sampaio e Sousa conseguiram ter boas chegadas no terço final do campo desde os minutos iniciais e gerar uma série de lances de perigo real.

Tanto que, aos 13 minutos de jogo, o o goleiro do Sampaio, Luiz Daniel, já tinha precisado fazer duas boas defesas; o goleiro do Sousa, Ricardo, já havia salvo o seu time em uma oportunidade; os paraibanos já tinham ficado na bronca pedindo um pênalti; e os maranhenses até balançaram as redes, com Wendson, mas o gol foi anulado por impedimento.

E essa alta voltagem seguiu. O Sousa conseguia ter um maior domínio da posse de bola, fazendo uma pressão mais próxima da área adversária, que cedia espaços para que os paraibanos crescessem. Mas, ao mesmo tempo, o Sampaio tinha velocidade nos contra-ataques e conseguia pegar a zaga desorganizada para criar lances de grande perigo.

Segundo tempo

Se o ritmo de jogo foi intenso ao longo de toda a etapa inicial, não seria diferente em um tempo de cinco gols. Mas, antes de deslanchar em uma chuva de emoções, o jogo teve um momento de susto. Isso porque, logo no primeiro minuto, o zagueiro Jefferson, do Sousa, ficou desacordado por cerca de três minutos após uma dividida. Mesmo assim, descumprindo todos os protocolos de concussão, o jogador voltou a campo quando recuperou os sentidos.

Logo na sequência, aos 7, o Sampaio abriu o placar. Após cruzamento de Van, Eron apareceu na entrada da pequena área para chegar chutando para o fundo das redes. Mas a alegria duraria pouco. Aos 11, o Sousa quase empatou, mas Luiz Daniel fez uma grande defesa jogando para escanteio. Nessa cobrança, porém, o goleiro saiu mal e Iranilson aproveitou e cabeceou para o empate.

E, apenas dois minutos depois, André Victor cruzou para encontrar Juninho Paraíba aparecer no meio da defesa boliviana para marcar o gol da virada do Sousa, aproveitando bem um grande apagão defensivo do Sampaio Corrêa, que sentiu. Assim, a intensidade do jogo baixou, mas nada que evitasse o terceiro gol do Sousa, aos 26, com Doda aproveitando mais um lance de bola aérea, da esquerda, para cabecear para as redes.

Tentando reagir, os maranhenses ainda marcaram aos 33, com Pedro Carrerete aproveitando um desvio de Joécio após lançamento na área para entrar com bola e tudo. A partir daí, o Sampaio aumentou a pressão e tentou reagir, com o Sousa fechando as suas linhas. Ainda assim, as melhores chances dos minutos finais foram paraibanas, explorando os contra-ataques.

PB Esportes com informações de Vitor Aguiar\ NE45

PUBLICIDADE