Foto: Evelyn Victoria
AnyConv.com__APOIE NOSSO TRABALHO (1)
PUBLICIDADE-JARBAS (2)
Sebastião
Foto: Evelyn Victoria

A expectativa de bom público no Arruda neste domingo se confirmou para o embate entre Santa Cruz e Campinense. Diante de um público de mais de 30 mil torcedores, o Tricolor abriu o placar no primeiro tempo e precisou resistir ao ímpeto da Raposa para conquistar a sua segunda vitória em casa na Série D, novamente por 1 x 0.

Com o resultado, a Cobra Coral e a Raposa seguem no G-4 do Grupo A3 da Quarta Divisão. Agora, o Santa Cruz é o vice-líder, com seis pontos, enquanto os paraibanos ficam no terceiro lugar com 4 pontos.

PUBLICIDADE

O jogo

A partida entre Santa Cruz e Campinense começou tensa antes da bola rolar. Com bom público previsto após a convocação dos tricolores, o Arruda viu, mais uma vez, os torcedores ficarem fora do estádio e sofrerem para acessar as arquibancadas ao longo da primeira etapa.

Em campo, os dois times apresentaram um futebol competitivo e com bastante disputa física. Fazendo valer seu mando de campo, a Cobra Coral começou a partida de maneira mais intensa, buscando apertar a Raposa em seu próprio campo.

O Rubro-negro paraibano começou a se soltar mais a partir dos 15 da etapa inicial, com as escapadas do atacante Matheus Lagoa, pela direita, e do lateral Bruno Collaço, além das bolas paradas com o volante Guilherme Escuro.

No momento de maior equilíbrio na partida, o Tricolor do Arruda conseguiu abrir o placar em escanteio cobrado por Fabrício Bigode. A bola levantada foi desviada pelo zagueiro Ítalo Melo, que subiu mais que a defesa da Raposa para bater o goleiro Gleibson.

Na reta final da primeira etapa, os ânimos ficaram exaltados. O Campinense chegou a empatar a partida, também em bola parada, cabeceada pelo zagueiro Anderson Sobral. Contudo, a arbitragem marcou o impedimento. A partir daí, houve muita reclamação por conta do banco de reservas do time paraibano e dos seus reservas. O saldo acabou sendo a expulsão do técnico Luan Carlos.

O segundo tempo da partida começou com o Campinense dominando as ações e ocupando o campo de ataque do Santa Cruz. Com mais posse de bola, a Raposa tocava bem a bola tentando penetrar na área do Tricolor do Arruda, que se defendia com as linhas baixas.

A primeira grande chance da etapa final aconteceu aos 11, quando mais uma vez o Campinense balançou as redes, mas a arbitragem impugnou o lance. Gilvan bateu da entrada da área e a bola acertou poste de Michael. No rebote, Matheus Lagoa completou, mas acabou não valendo.

A partir da 20 minutos o que se viu no Arruda foi um embate entre ataque e defesa. Enquanto o Campinense trabalhava a bola no campo ofensivo, a Cobra Coral buscava chegar ao ataque no contragolpe. Contudo, ambas as equipes pouco assustavam, pois abusavam dos erros de passe.

Aos 34, Pipico quase faz um gol antológico. Após passe errado de Ramires, o centroavante coral dominou no círculo central e emendou rumo à meta do goleiro Gleibson. O arremate acertou a parte de cima da rede e deixou a torcida coral no quase.

Nos acréscimos, o time paraibano ainda estampou novamente a trave do goleiro Michael. Após cobrança de escanteio, o meio-campista Júnior Pirambu se antecipou ao arqueiro coral e cabeceou. A bola acertou a trave e foi afastada pela defesa tricolor no lance que poderia ter decretado o empate. Assim, no sufoco, o Tricolor conseguiu garantir sua segunda vitória em casa na Série D.

Próximos jogos

As duas equipes voltam a campo já no próximo domingo pela 4ª rodada da Série D. O Santa Cruz visita o Nacional de Patos, no estádio José Cavalcanti, às 16h. Já o Campinense segue atuando fora de casa. Dessa vez, enfrentará o Sousa, no Marizão, também às 16h.

PB Esportes com informações de Yago Mendes\NE45

PUBLICIDADE