Foto: pbesportes.net
AnyConv.com__APOIE NOSSO TRABALHO (1)
PUBLICIDADE-JARBAS (2)
Sebastião
PROJETO-GILNEY-2

Nesta sexta-feira (12), o Campinense Clube completa 109 anos de vida, com uma trajetória marcada por idas e vindas, com glórias e algumas dificuldades. O clube, porém, não anunciou nenhum evento para celebrar a data em 2024 por causa da situação do time na temporada.

O caminho, como dito, foi de altos e baixos: do hexacampeonato paraibano e a conquista da Copa do Nordeste em 2013 à pífia participação no Estadual deste ano, onde acabou a competição em sexto lugar ficando mais um ano sem calendário nacional na próxima temporada.

PUBLICIDADE

A crise toma o lugar da comemoração. Difícil apontar um culpado. Porque são muitos os que têm sua parcela de culpa.

Origem da Raposa

O dia 12 de Abril de 1915 pode ser considerado o marco incial de uma maiores histórias do futebol nordestino. Nascia o Campinense Clube, fundado por 29 pessoas numa reunião em que o advogado Hortêncio Ribeiro decretou que a então sociedade recreativa dançante, chamada Sociedade Recreativa Campinense Club, se chamaria, a partir daquele dia, Campinense Clube, retratando assim o amor pela cidade de Campina Grande, que na época nem sequer contava com energia elétrica e tinha uma população de cerca de 10 mil habitantes.

Frequentado pelos aristocratas do ciclo do algodão, o Campinense teve seu departamento de futebol aberto oficialmente em 1919, mas não durou por muito tempo. No ano de 1920, os cabra da diretoria resolveram desativar a divisão futebolística do clube por conta das brigas que aconteciam depois das partidas. Para ser mais específico, o bacharel Severino Procópio foi o homem que deu a ideia de encerrar as pelejas.

A primeira sede da Raposa foi no ainda existente Colégio Campinense, isso porque o diretor, Gilberto Leite, foi um dos 29 homens que estavam na sala de reunião no dia da fundação do clube. Foi lá também que em 1954, o médico Gilvan Barbosa convenceu os conselheiros da então sociedade recreativa a reativar o departamento de futebol, mas somente para os sócios. O negócio foi dando certo, e quatro anos depois o Campinense Clube tornou-se profissional, estreando no Campeonato Paraibano em 1960.

PUBLICIDADE