PUBLICIDADE-HORIZONTAL-SEBASTIAO
jhony-bezerra-publicidade2

O Botafogo-PB recebe o Santa Cruz com uma única missão: vencer ou vencer. Como o Grupo A está acirrado, um resultado positivo pode alçar a equipe paraibana ao bolo que disputa uma vaga às quartas de final. Um revés, por outro lado, deve colocar o time alvinegro como um dos candidatos à queda. A partida acontece às 19h deste sábado, no estádio Almeidão, em João Pessoa, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série C.

Atualmente, o Belo ocupa a sexta posição com 18 pontos, três abaixo do Tricolor, terceiro, e dois acima do Salgueiro, penúltimo. O G4 é composto ainda por Atlético Acreano, com 26, Náutico, com 23, e Confiança, com 19, enquanto o Z2 tem também o lanterna Remo, com 12. Faltam apenas quatro partidas para o fim da primeira fase.

O BELO

Para a partida diante do Santa Cruz, o técnico do Botafogo-PB, Evaristo Piza, não poderá contar com o zagueiro Gladstone e o meio-campista Rafael Jataí, suspensos pelo terceiro amarelo. Humberto deve entrar como volante, enquanto Lula poderá ser um dos defensores. Dico e Hiroshi, que se lesionaram no duelo com o Náutico, pelo returno, vivem situação distinta junto ao Departamento Médico. O segundo corre contra o tempo para estar à disposição no final de semana; o primeiro está vetado.

“Eu acho que a gente tem que dominar as ações do jogo. Acredito que eles vão vir um pouco recuados, jogando no contra-ataque, para jogar no nosso erro. Então a gente tem que ter muita atenção nos 90 minutos”, disse o meia Clayton.

O TRICOLOR

O técnico do Santa Cruz, Roberto Fernandes, ainda não definiu o substituto do lateral-esquerdo Allan Vieira, suspenso. Uma coisa, porém, é certa: terá que improvisar no setor. Ao longo da semana, o comandante testou ou zagueiro Eduardo Brito e o lateral-direito Maílton. Outra novidade é a volta do meio-campista Arthur Rezende. Ele estava suspenso, mas já está à disposição. Carlinhos Paraíba será outra novidade, mas ficará no banco de reservas.

“Arthur está confirmado. A lateral esquerda não. Qualquer opção é improvisação. Eduardo é zagueiro, e por ser canhoto pode ocupar aquele espaço, mas você descarta questão de apoio completamente. E pode colocar um lateral-direito, que também vai ser improvisação, mas pelo menos é mais da posição. São duas situações que a gente está alternando. Vamos deixar a equipe com uma dúvida e vamos explorando o máximo que a gente pode, tanto o Maílton quanto o Eduardo Brito, para ver qual a opção que causa menos prejuízo”, disse o treinador.

Foto: Divulgação/Botafogo-PB

PB Esportes com Futebol Interior