PUBLICIDADE-HORIZONTAL-SEBASTIAO
FABIO-PUBLICDADE-HORIZONTAL-min

O Corinthians não quer mais jogar a noite, tampouco aos domingos. E tal decisão foi comunicada nesta segunda-feira à CBF (Confederação Brasileira de Futebol), FPF (Federação Paulista) e Rede Globo por meio de um comunicado assinado pelo presidente Andrés Sanchez.

“Requer-se que, a partir do retorno das competições que foram suspensas e daquelas que não foram iniciadas por conta da pandemia do Covid-19, não sejam mais marcados jogos do Sport Club Corinthians Paulista à noite ou aos domingos”, diz um trecho do texto.

PUBLICIDADE

No parágrafo seguinte, Andrés é ainda mais enfático: “Na hipótese de serem agendadas partidas à noite ou aos domingos, o Sport Club Corinthians Paulista se reserva no direito de eventualmente não participar dos referidos jogos”.

O veto às partidas noturnas e nos domingos se deve a duas decisões recentes da Justiça que beneficiaram jogadores: Paulo André contra o próprio Corinthians, e Maicon contra o São Paulo. Eles cobraram em ações na justiça remunerações referentes a adicional noturno, domingo e feriados.

Paulo André ganhou um processo de R$ 1,2 milhão – havia uma série de outras exigências, ligadas a outros temas como verbas rescisórias. No fim, houve um acordo e o Timão está pagando, de forma parcelada, R$ 750 mil. Já Maicon venceu o Tricolor em primeira instância e pode faturar até R$ 700 mil.

“Inúmeras são as decisões judiciais, confirmadas inclusive pelas instâncias superiores, condenando as entidades de prática desportivas empregadoras a pagar aos atletas profissionais de futebol adicionais por partidas realizadas à noite, assim como por suposta violação ao direito de repouso semanal remunerado, especialmente quando há jogos realizados aos sábados/domingos, seguidos por jogos no meio da semana e novamente no sábado/domingo seguinte”, explica outro trecho do comunicado.

Nem CBF, nem FPF, tampouco a Rede Globo se manifestaram ainda a respeito da decisão corintiana.

PB Esportes com informações do Yahoo Esportes

Foto: Thiago Calil/Agif

PUBLICIDADE