PUBLICIDADE-HORIZONTAL-SEBASTIAO
FABIO-PUBLICDADE-HORIZONTAL-min
PUBLICIDADE MARE DISTRIBUIDORA HORIZONTAL-min (1)
Foto: pbesportes;net

Neste domingo, dia 17 de abril, começa o Campeonato Brasileiro da Série D de 2022, a única divisão nacional com presença de times de todos os estados do país. São 64 times na busca das quatro vagas de acesso para a Série C de 2023.
Confira os grupos da competição:

GRUPO A1

PUBLICIDADE

Amazonas-AM – Humaitá-AC – Náutico-RR – Porto Velho-RO – Rio Branco-AC – São Raimundo-AM – São Raimundo-RR – Trem-AP
Contando com equipes que não foram bem, ou ainda estão disputando o estadual, o grupo A1 surge como um dos mais imprevisíveis da competição. Os amazonenses Amazonas e São Raimundo fizeram más campanhas no Barézão, inclusive com o segundo sendo rebaixado, e surgem como incógnitas. O tradicional Trem, do Amapá, ainda monta seu elenco para estadual e nacional, seu potencial é incerto.
As equipes de Roraima, Náutico e São Raimundo, e o Porto Velho de Rondônia também não aparecem como favoritos, e aparecem mais como possíveis postulantes a classificação. Sempre apontado como possível força, o Rio Branco faz campanha apenas mediana na segunda fase do estadual. O certame é dominado pela possível força deste grupo A1, o Humaitá, invicto no campeonato Acreano após nove jogos.

GRUPO A2

4 de Julho-PI – Castanhal-PA – Fluminense-PI – Juventude Samas-MA – Moto Club-MA – Pacajus-CE – Tocantinópolis-TO – Tuna Luso-PA
Com equipes da região norte e nordeste do país, o grupo A2 tem de certa forma um time claramente favorito a conquista da primeira posição, que é o Fluminense do Piauí. Ao lado do finalista do campeonato estadual, temos também o 4 de Julho, outro piauiense, o Castanhal, do Pará, o Juventude Samas e o Moto Club, do Maranhão, o Pacajus do Ceará e o Tocantinópolis, do Tocantins.
Além do Fluminense, que recentemente quase eliminou o Santos da Copa do Brasil, o seu companheiro de estado também tem um time interessante e pode buscar vaga na próxima fase. Outro clube estruturado e de bom prognóstico é o Moto Club, um dos principais do seu estado. Há certo equilíbrio, mas a gangorra pende para o lado do tricolor do Piauí.
GRUPO A3

Afogados-PE – América-RN – Crato-CE – Globo-RN – Icasa-CE – Retrô-PE – São Paulo Crystal-PB – Sousa-PB
Com equipes em bom momento no ano e outras de temporada obscura, o grupo A3 conta com equipes que podem ser consideradas candidatas ao acesso. O tradicional América de Natal é sempre uma das grandes forças da competição. O Retrô faz grande campanha no campeonato Pernambucano, chegando a decisão. Outra força do grupo é o Globo, que apesar de mal estadual eliminou o Internacional da Copa do Brasil, mostrando força.
Os Cearenses Icasa e Crato não foram bem até agora na temporada, com o segundo rebaixado e sendo acusado de manipular resultados. O Afogados da Ingazeira já não repete o sucesso de temporadas passadas e acabou rebaixado. As duas equipes paraibanas, Sousa e São Paulo Crystal fazem temporadas consistentes e devem lutar pela classificação, com o Sousa largando em ligeira vantagem.

GRUPO A4

ASA-AL – Atlético Alagoinhas-BA – CSE-AL – Jacuipense-BA- Juazeirense-BA – Lagarto-SE – Santa Cruz-PE – Sergipe-PE
Contando com os atuais vice campeões dos campeonatos de seus respectivos estados, Jacuipense e ASA de Arapiraca são duas das oito equipes que compõe o grupo A4 desta Série D. O Fantasma do Alagoas, que já disputou a Série B na última década, busca dias melhores dentro do cenário nacional como em outrora. Outro destaque é o atual bicampeão baiano, Atlético Alagoinhas
Uma equipe tradicional que se encontra nesta chave é o Santa Cruz de Pernambuco, que disputou a Série A do Brasileirão de 2016. Porém, o Tricolor de Recife vive dias difíceis e tentará voltar a disputar as competições de mais alto nível do futebol brasileiro nos próximos anos. CSE, Juazeirense, Lagarto e Sergipe, que venceu o seu estadual nesta temporada, completam a chave.
GRUPO A5

Ação-MT – Anápolis-GO – Brasiliense-DF – Ceilândia-DF – Costa Rica-MS – Grêmio Anápolis-GO – Iporá-GO – Operário-MT
O grupo 5 é muito equilibrado e tem poucas equipes que estão se destacando. O Brasiliense foi campeão estadual e chega nem forte para essa primeira fase, o Ceilândia foi vice para o Brasiliense e também está em uma boa fase e por último o Iporá que foi bem no estadual.
Além dessas equipes, o Grupo 5 conta com o Anápolis, Ação, Operário (VG), Costa Rica MS, Grêmio Anápolis e Iporá, que também brigam para conquistar suas vagas na próxima fase. É uma chave muito complicada, com times que se equivalem e vão brigar até o final.
GRUPO A6

Bahia de Feira-BA – Caldense-MG – Ferroviária-SP – Inter de Limeira-SP- Nova Venécia-ES – Pouso Alegre-MG – Real Noroeste-ES – URT-MG
Com duas equipes paulistas presentes neste grupo, a Ferroviária e a Inter de Limeira terão mais uma oportunidade de buscar o acesso para a Série C do Campeonato Brasileiro do ano que vem. A Ferrinha, que apesar de ter feito uma das melhores campanhas da competição na última temporada, foi eliminada nas quartas de final do certame nas penalidades máximas.
Além dos times do interior de São Paulo, a Caldense é outro time que também deve vir com força máxima para irem em busca do acesso. O time alviverde conseguiu chegar as semifinais do Campeonato Mineiro deste ano.
GRUPO A7

Cianorte-PR – Nova Iguaçu-RJ – Oeste-SP – Paraná Clube-PR – Pérolas Negras-RJ – Portuguesa-RJ – Santo André-SP – São Bernardo FC-SP
Lotado de times das regiões sul e sudeste, esse grupo tem um dos prognósticos mais interessantes de toda a competição. Entre os clubes da chave, há dois rivais regionais (São Bernardo FC e Santo André), o Oeste de Barueri, a Portuguesa Carioca e, é claro, o Paraná Clube. Além deles, ainda correm por fora o Pérolas Negras e o Nova Iguaçu, ambos do Rio de Janeiro e o Cianorte, do Paraná.
Esta chave promete a melhor disputa de toda a Série D neste ano. Se não bastassem as equipes de São Paulo, que quase sempre são forças de grande respeito na Série D, temos o Paraná, perdido na divisão depois de viver o pior ano de sua história e a boa equipe da Lusa Carioca. A briga pela classificação promete ser uma tremenda batalha de “titãs” e qualquer previsão feita neste grupo pode ser um devaneio.

GRUPO A8

Aimoré-RS – Azuriz-PR – Caxias-RS – FC Cascavel-PR -Juventus de Jaraguá-SC – Marcílio Dias-SC – Próspera-SC – São Luiz-RS
No Grupo 8, a situação é muito equilibrada, pois são times que não viveram bons momentos nos estaduais. Mas tem duas equipes que têm destaque e podem largar na frente, que é o Azuris, um time muito forte e está na terceira fase da Copa do Brasil e tem o Caxias, uma equipe muito tradicional no Rio Grande do Sul.
Essas duas equipes tem grande chances de vaga mas, também, brigam o Aimoré, FC Cascavel, Juventus, Marcílio Dias, Próspera e São Luiz. Com uma chave muito equilibrada, todas as equipes tem boas chances de surpreender e conseguir a classificação para a próxima fase.
REGULAMENTO
Diferente do ano passado, a partir dessa edição não haverá mais seletivas com representantes das oito entidades estaduais com o pior posicionamento no Ranking Nacional das Federações e, assim, a competição contará com 64 equipes participantes. Elas serão divididas em oito chaves, com oito equipes em cada, com jogos de ida e volta. As quatro melhores de cada grupo se classificam para a segunda fase, totalizando 32 equipes. Estas se enfrentam em confrontos eliminatórios até a definição do campeão e do acesso à Série C de 2023: oitavas, quartas, semifinais e final.

PB Esportes com informações de merson Gomes, Lucas Paes, Fabio Rocha e Ricardo Pilotto \ O curioso do Futebol

PUBLICIDADE