PUBLICIDADE-HORIZONTAL-SEBASTIAO
Foto: Thais Magalhães

Ednaldo Rodrigues, presidente da CBF, vai propor que torcedores com comportamentos racistas recebam punições esportivas. Essas ações começariam a partir de 2023. O tema será levado ao Conselho Técnico do Campeonato Brasileiro, formado pelos times participantes do torneio. 

O presidente da CBF vai falar da proposta nesta quarta-feira (24), no primeiro Seminário de Combate ao Racismo e à Violência no Futebol, organizado pela entidade. O cantor Gilberto Gil é convidado de honra. Também estarão presentes Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, e Rodrigo Pacheco, presidente do Senado.

PUBLICIDADE

“O evento é um marco para o início de uma série de iniciativas que vão discutir de uma forma mais profunda o combate ao racismo e à violência no futebol. É um gesto histórico para dar um basta contra o racismo e a ignorância no futebol. Além do evento, vamos fazer uma série de ações nos estádios nesta semana para conscientizar o torcedor. Chega de discriminação”, avaliou Ednaldo Rodrigues.

O Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol 2021 também será apresentado no evento. O documento será debatido por Marcelo Carvalho, do Observatório da Discriminação Racial do Futebol, e Oná Rudã, do LGBTricolor e do Coletivo de Torcidas Canarinhos LGBTQs. O Seminário será realizado na sede da CBF e também terá a presença de representantes da Fifa. 

PB Esportes com informações do Diário do Nordeste

PUBLICIDADE