PUBLICIDADE-HORIZONTAL-SEBASTIAO
Foto: Divulgação

Estudos recentes apontam os benefícios da prática saudável de atividade física para o corpo e as doenças advindas do sedentarismo e má alimentação. Mas, muito tem sido falado sobre a importância do exercício como aliado para a saúde mental, principalmente devido às consequências negativas que a pandemia da Covid-19 trouxe, não somente para quem teve a doença e precisou tratar as sequelas, mas, também, para quem começou ou intensificou os problemas relacionados à mente, como ansiedade, depressão, estresse e crises de pânico, por exemplo.   

Segundo a coordenadora do curso de Educação Física do UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau João Pessoa, Iana Rafaella, é importante ressaltar a atividade como grande aliada às questões da saúde mental, algo sendo mais explorado com a discussão e incentivo ao movimento corporal. “Por muito tempo, o ato de praticar exercícios era visto somente pelo lado estético: ficar mais magro e/ou forte. Hoje, esse cenário é bem diferente. Muitos já vão à academia com o intuito de sentir o efeito do exercício no emocional, controlando as crises de ansiedade e trazendo o sentimento de completude com a prática regular”, afirma. 

PUBLICIDADE

A profissional complementa dizendo não ser necessário ter uma rotina pesada de exercícios, pois encontrar o equilíbrio é fundamental para tornar isso um hábito e não um fardo. “Realizar qualquer atividade física, seja qual for, por 15 minutos, durante três vezes na semana, já traz resultados visíveis. É necessário mudar essa ideia de precisar treinar muito e todos os dias da semana como a única solução para ter uma vida saudável. Esse é um dos motivos de muitos continuarem no sedentarismo. Movimentar o corpo deve ser algo prazeroso e estimulante para o cotidiano”, complementa.   

A variedade de opções disponíveis para a pessoa escolher qual o exercício fazer também contribui, pois não se restringe somente às academias ou espaços fechados. Praias, parques e praças são alternativas para quem busca a leveza do ar livre e se sentir mais à vontade e disposto, podendo praticar ioga, pilates ou caminhadas, por exemplo. Portanto, percebe-se a essencialidade do movimento para o corpo e a mente, evidenciando que ambos andam juntos quando se trata de saúde. Com a ajuda do profissional de Educação Física habilitado e a força de vontade do praticante, surge um novo contexto de vida.    

PB Esportes com informações de Isabelle Vasconcelos\Uninassau

PUBLICIDADE