PUBLICIDADE-HORIZONTAL-SEBASTIAO
FABIO-PUBLICDADE-HORIZONTAL-min
Foto: Divulgação

Torcedores do Esporte de Patos realizou uma reunião neste domingo (18), com o objetivo de formar um grupo de oposição à atual diretoria do clube e formar uma chapa para disputar as eleições internas, previstas para janeiro de 2023. O grupo é encabeçado por atuais dirigentes: o primeiro secretário, Bruno Marlon; o diretor de Patrimônio, Firmino Nóbrega Leite, além do diretor de Promoções, Roberto Filho (filho do ex-goleiro e ídolo do Patinho Terror do Sertão, Menininho).

Agora, o primeiro objetivo é fazer com que a atual diretoria publique o edital e o cronograma das eleições, já que até o momento isso ainda não foi feito. Além disso, o grupo também quer regras claras e a realização de um processo eleitoral democrático.

PUBLICIDADE

A iniciativa foi tomada diante do cenário de descaso que atualmente vive o Esporte Clube de Patos. Patrimônios sendo perdidos em leilão para pagamento de dívidas trabalhistas, rebaixamento para a Terceira Divisão do Campeonato Paraibano, além da pífia campanha na referida competição, com a necessidade de ter que brigar na Justiça Desportiva para conquistar o acesso.

A falta de transparência é um dos principais pontos criticados pela oposição, em relação à atual diretoria. Em julho deste ano, o Esporte de Patos perdeu um dos seus principais patrimônios: um prédio localizado na Rua do Prado, uma das principais avenidas comerciais da cidade, que foi arrematado em um leilão por apenas R$ 293 mil, já que o imóvel vale bem mais que isso. Há anos, o clube aluga este prédio a uma churrascaria.

Outro caso que provocou repercussão na cidade de Patos foi o fato do prefeito de Patos, Nabor Wanderley, ligado ao atual presidente do Patinho Terror do Sertão, ter apresentado um Projeto de Lei na Câmara Municipal, com o objetivo de “ajudar” o clube com uma doação de R$ 30 mil para o pagamento de despesas da Terceira Divisão do Campeonato Paraibano.

A Torcida Organizada Labareda publicou uma carta repudiando a iniciativa, alegando falta de prestação de contas da atual diretoria, principalmente por causa dessa possibilidade de recebimento de recursos públicos por parte da Prefeitura de Patos.

PB Esportes com Divulgação

PUBLICIDADE